14 de outubro de 2012

Cinquenta tons de cinza, fanfictions e livros





Oi gente, tudo bem?

        Bom, semanas atrás estava lendo um artigo em um blog sobre o fenômeno mundial que é o livro “Cinquenta tons de cinza” da britânica E.L. James. É óbvio que eu já sabia sucesso estrondoso, apesar não ter lido ainda a obra, mas o fato de o livro ser um best-seller atrás somente do Harry Potter não foi o que mais me chamou a atenção. A autora, moradora do subúrbio de Londres e quase “cinquentona” começou a escrever sua história de “autora de sucesso” publicando fanfictions da saga crepúsculo na internet, provando o quanto é a internet  é um veículo importante na "formação" de um novo autor .

      Nunca ouviu falar em fanfictions? É algo novo para você? Não se preocupe, o Meu Livro Rosa Pink, em um serviço de utilidade pública está disposto a responder todas as suas duvidas. Não somos o Chapolin Colorado, mas vocês podem contar com a nossa astúcia. É, eu sei foi péssimo (risos).

Então, vamos ao que interessa. Segundo o Wikipédia, fanfiction é a denominação de contos ou romances criados por fãs de sagas, quadrinhos, livros, filmes, séries, animes e mangás, publicados na internet sem fins lucrativos. É um segmento que se popularizou com a internet, mas, há registro de versões de fãs para obras literárias como “Alice no país das Maravilhas” e “Sherlock Holmes” no começo do século XX. Na década de 60, escritores-fãs de Star Trek publicavam de forma despretensiosa suas histórias sobre a série em revistas editadas por fãs, conhecidas como Fanzines. Foi a partir daí que o termo Fan Fiction se popularizou. Atualmente, o número de ávidos leitores e autores aumenta a cada dia, afinal, quem nunca imaginou um final diferente ou uma continuação para seu livro preferido?

No universo das fanfictions, isso é possível. E qualquer um com uma boa dose de imaginação e criatividade pode se tornar um autor famoso na web, respeitado por seus leitores. Conversamos com algumas pessoas que fazem parte desse "Universo" das fanfictions, leitores, escritores e até quem trabalha em sites que hospedam essas histórias, afim de tentar elucidar a você, caro leitor do blog, qual o motivo de tanta gente ler e escrever essas histórias.

Melissa Luz faz parte desse universo em duas esferas. É leitora assídua de fanfictions e autora de quatro histórias, uma delas finalizada, além de já ter uma crônica publicada em um livro, em concurso realizado pelo site eucoracaolivros. A estudante de quatorze anos considera a leitura e a criação de fanfitions um dos seus passatempos favoritos. Ela escreve sobre a saga Harry Potter e duas de suas fanfictions são categorizadas como originais, ou seja, sem usufruto de histórias e personagens registrados. São histórias novas e desconhecidas por boa parte das pessoas. Todo seu conteúdo é de autoria do autor. 

Meu Livro Rosa Pink: Você se lembra de qual foi seu primeiro contato com uma fanfiction?

Lembro. Minha amiga começou a ler uma fic da Saga Crepúsculo e se apaixonou. Ela me mostrou e eu comecei a ler. Eles não eram vampiros na fic e eu gostei bastante. A partir daí fiz minha conta no Nyah!Fanfiction e comecei a ler varias fanfics.


Meu Livro Rosa Pink: Duas de suas fanfictions são da saga Harry Potter. Você já deve ter lido fanfictions sobre esse mesmo tema. Você gosta do destino que os autores da internet escrevem para os seus personagens favoritos?

Alguns seguem o que a autora sugere nos livros, alguns mudam completamente a história. Existem fanfics de romance, Harry e Voldemort, totalmente sem sentido. Eu gosto das fics que retratam assuntos que não foram considerados pela autora, como Draco e Hermione, mas não curto as muito bizarras.

Meu Livro Rosa Pink: Você tem uma fanfiction finalizada e três em andamento. Teve uma crônica publicada. Já dá para se considerar uma autora?

Na verdade, me considero autora desde que postei meu primeiro capítulo (risos).

Meu Livro Rosa Pink: Você acha que a criação e a leitura de fanfictions auxiliam, de alguma forma, no seu rendimento escolar?

Quanto à ortografia, gramática e vocabulário sim, bastante.




A maior parte dessas histórias escritas por fãs baseadas em seus personagens favoritos não tem autorização do próprio autor da obra, e isso poderia ser um problema, mas, os escritores-fãs deixam bem explicito “Escrevemos por amor a obra”. Não há lucratividade e apesar da ilegalidade, é incomum vermos processos relacionados a isso devido ao grande número de fanfictions publicadas na internet.

           Um dos maiores e mais respeitados sites no Brasil é o Nyah! Fanfiction. Com mais de 147 mil histórias publicadas em cinco anos de existência, o site é referência quando o assunto é fanfictions. Através do cadastro de um perfil no próprio site, o “novo autor” pode publicar suas histórias e receber através de avaliações, críticas e sugestões sobra a sua obra, assim como interagir com seus leitores. As histórias são separadas por categorias, que incluem classificação etária e há dicas para auxiliar os autores no desenvolvimento de uma boa escrita em suas fanfictions. O site promove também concursos de histórias e os vencedores podem ganhar destaque de suas obras no site, bem como outras premiações. Atualmente, o site conta com uma equipe de cinco moderadores, responsáveis por auxiliar no bom funcionamento do site e duas betas-reader, que auxiliam os autores com um olhar mais crítico sobre os capítulos, dando sugestões sobre a ortografia, caracterização dos personagens, desenvolvimento da história.                                 



A estudante Barbara Martins Abreu, transformou o que era antes um hobby em trabalho. Tornou-se moderadora de um site de fanfictions há três anos, e atualmente divide seu tempo entre a faculdade de engenharia mecatrônica com suas funções de suporte e moderação do Nyah. Ela própria tem uma conta no site e acessa todos os dias, o que facilita o contato com os usuários. 

Meu Livro Rosa Pink: Como foi o processo de se tornar parte da equipe do site e quais as suas funções como moderadora?

Estavam procurando dois moderadores em 2009, tinha até uma notícia postada no site a respeito. Eu atendia aos requisitos (ensino médio completo, saber mexer nas funções básicas do site, tempo livre, etc.) e me candidatei. Aí me escolheram, junto com outra garota, que já saiu. Entre as funções, temos que cuidar dos tickets de Suporte, em que os usuários podem perguntar sobre qualquer dúvida que tiverem sobre o site, desde o funcionamento até a resolução de eventuais problemas. Eles também podem denunciar histórias que violam as regras ou usuários. Postamos notícias na página inicial, avisando de alguma modificação no site, nas regras ou algo parecido. Podemos alterar os tópicos de ajuda, as regras de conduta e de postagem, as histórias e perfis dos usuários, etc. Cuidamos também das recomendações escritas às fics, aprovando ou deletando.

Meu Livro Rosa Pink: A maior parte das histórias publicadas no site são materiais registrados. Ao decorrer desses anos, vocês já tiveram alguma denuncia por plágio ou utilização indevida de material registrado?

Não.

Meu Livro Rosa Pink: Você acompanha alguma das fanfictions publicadas do site? Já chegou a postar alguma fanfiction de sua autoria?

Sim, várias. Também tenho várias fics publicadas.

Meu Livro Rosa Pink: Bom, há algumas semanas atrás, um dos autores do site teve sua história publicada por uma editora renomada. Você teve conhecimento disso?

Acho que não. Alguns contam no Suporte e vão agradecer por terem começado lá e tudo mais, mas não são todos. Conheço duas garotas que já publicaram livros que eram postados no Nyah! antes, até comprei um deles.

Meu Livro Rosa Pink: Você acha que o site pode ser um incentivo a novos autores, muitas vezes “escondidos” atrás de uma tela de computador?

Sim, talvez até porque ninguém vê quem está do outro lado da tela. Você é cem por cento julgado pelo seu trabalho.

        O autor que teve sua história publicada é Diego Lobo, que lançou há algumas semanas seu primeiro livro, Luxúria (confira a resenha aqui). A história de cunho original, fala sobre a chegada de dois irmãos há uma pequena cidade europeia após a prisão dos pais e de suas relações com sete misteriosos jovens que se intitulam os sete e correspondem, cada um, um pecado capital encarnado. 

Meu Livro Rosa Pink: Porque você decidiu postar sua história em um site de fanfiction? Você é um leitor desse tipo de história?

Senti uma necessidade de contar uma história para as pessoas, sempre fui alguém que inventava histórias e situações na cabeça. Resolvi arriscar escrever algo dentro de um gênero preferido pelo público, mas da minha maneira. Particularmente nunca tive interesse em fanfictions, mas pude conhecer melhor esse mundo.

Meu Livro Rosa Pink: E como sua fanfiction virou um livro? Você foi procurado por alguma editora?

Depois de começar a disponibilizar capítulo por capítulo no site especializado em “fictions”, eu tive a surpresa em constatar que as pessoas estavam elogiando bastante. Muitos me incentivaram e eu resolvi levar adiante a ideia de transformar o que eu tinha em livro. Depois do material parcialmente pronto, eu tive que correr para conseguir uma editora. Foi muito difícil já que o mercado literário no Brasil é bem complicado.

Meu Livro Rosa Pink: Você tinha leitores que acompanhavam a publicação da sua história no site, antes mesmo de ela virar um livro, avaliando cada capítulo e mandado críticas e sugestões. Você acha que isso foi importante no seu desenvolvimento como autor?

Sim, foi muito importante. Esses leitores são especiais para mim e conto com a ajuda deles até hoje.

Meu Livro Rosa Pink: Qual é o recado que você dá a todos aqueles, que postam suas histórias em sites de fanfictions e sonham, em um dia, ver seu trabalho sendo reconhecido e publicado?

É um sonho complicado, mas nunca impossível. Se você acreditar mesmo que sua história deveria virar um livro então nunca desista. Vai ser muito difícil, mas as melhores coisas são assim. As pessoas vão te apoiar e criticar, mas quem precisa acreditar na obra em primeiro lugar é você.



       Criatividade e sonhos... é isso que uma fanfic abriga em suas palavras.  Independente de ser uma fanfiction ou uma obra com milhões de livros vendidos, o blog Meu Livro Rosa Pink defende a bandeira da importância da leitura na vida das pessoas. É gratificante ver que a cada ano que passa as pessoas estão lendo cada vez mais e num meio tão acessível como é a internet estão até escrevendo sobre suas preferências. 

P.S.: Sim, eu já li fanfictions (não iria fazer um artigo sem conhecer a causa).
P.S.2: Sim, existem algumas fanfictions bem ruins (nesse universo você pode encontrar de tudo), então não se assuste de primeira, mantenha a calma e continue procurando que você pode ter uma grata surpresa. 


Fonte: Wikipédia

Contato dos entrevistados
Melissa Luz

Barbara Martins

Diego Lobo






1 comentários:

✿Nessa✿ disse...

Oie!
Adorei o post e me esclareceu muitas dúvidas que eu tinha sobre oa ssunto!
Achei muito interessante!!

Bjinhs*
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com

Postar um comentário

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...