1 de agosto de 2012

Estilhaça-me - Resenha

Lançamento: 29/Mar/2012
Autor:
Site | Twitter | Facebook
Editora:
Novo Conceito
Gênero: 
Romance Distópico 
Páginas: 304
Onde comprar: Submarino | Livraria Saraiva | Livraria Cultura | Compare os preços

Juliette não toca em alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente e por isso foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

 
"Meu toque é letal. Meu toque é poder"

Juliette tem um problema doença arma. Ela não pode tocar nas pessoas que coisas muito ruins acontecem. Desde pequena rejeitada pelos pais por ser diferente, Juliette vive isolada em seu mundinho, mais tudo piora quando ela tenta ajudar uma criança, mesmo sabendo que seu toque é letal, Juliette não consegue resistir e mesmo sem querer acaba matando a criança.
Cansados de ter que correr de cidade em cidade por causa de sua filha, os pais de Juliette a entregam ao Restabelecimento.
Durante 264 dias Juliette vive trancada em um tipo de cela de prisão, sem contato com outros humanos e qualquer tipo de vida fora de seu aconchegante quarto.
Com a chegada inesperada de Adam, Juliette sente-se confusa pois durante todo o tempo em que ficou trancafiada nunca foi feito nada a ela e de repente, seus novos "tutores" lhe presenteiam com um amigo.

Ele se senta a meu lado e apoia-se na parede. Seus ombros estão tão perto muito perto nunca perto o bastante. O calor de seu corpo faz mais por mim do que um cobertor jamais fará. Algo em minhas articulações dói de desejo ardente, uma necessidade desesperada que nunca fui capaz de satisfazer. Meus olhos estão implorando por algo a que não posso permitir. Toque-me.
Tudo muda novamente quando Juliette e Adam são libertados, na verdade Juliette é libertada, pois Adam foi uma 'isca' jogada pelo Restabelecimento para saber qual seria a reação de Juliette após tanto tempo de confinamento. Juliette então vai para sua nova casa ou melhor, uma cela um pouco maior por assim dizer localizada na sede do Restabelecimento. Lá Juliette conhece então o autor da idéia do seu confinamento, Warner líder desta nova religião ou seita que se diz encarregada de salvar o planeta da destruição. (não adianta, eu sempre prefiro os badboys, e tenho que acrescentar que Warner é lindo. Sempre que o lia trechos com ele, me vinha o rosto do Cam Giganndet usando um uniforme militar... morri e ressucitei)
Juliette achava que sua situação não poderia piorar e agora ela terá que lidar com seu maior inimigo, Warner e o Restabelecimento. Sendo usada agora como cobaia, Juliette terá que tomar uma decisão que mudará a vida de todos a sua volta, ser uma Arma e poder ser vingar de todos que a fizeram sofrer, ou ser Guerreira e mudar o seu futuro para sempre.


O que posso dizer do livro? Não foi o melhor livro que li este ano, porém foi uma surpresa muito boa.
A escrita de Tahereh é bem diferente, o livro é narrado em primeira pessoa. Quando li as primeiras páginas tive que voltar e ler novamente de tão intensa e cheia de informações que a autora já nos impõe logo de cara. A primeira impressão que tive de Juliette foi a de uma garota mentalmente abalada, se essa era a intenção de Tahereh ela está de parabéns. Há pensamentos cortados, lembranças partidas ao meio passado e presente se misturando em uma mesma frase, achei isso muito diferente de uma forma positiva.
Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca. Eu não sou louca....

“Estou pasmada, com olhos e boca escancarados, visto que sinto buracos por toda parte, perfurados no terreno de meu corpo.”
...
Nossa, é tão profundo, Eu não sou louca.

...
Meus pais pararam de tocar em mim quando passei a engatinhar. Fiz meus colegas de classe chorar só por lhes segurar as mãos. Os professores me faziam trabalhar sozinha para que eu não machucasse as outras crianças. Nunca tive um amigo. Nunca conheci o aconchego do abraço de uma mãe. Nunca senti a ternura do beijo de um pai. Eu não sou louca.
Porém conforme a história vai se desenrolando o livro cai um pouco no clichê, o amor que Juliette sente por Adam, aquela desconfiança "será que ele gosta de mim" "o que ele realmente quer comigo" coisas desse gênero. Achei que a autora deveria ter trabalhado melhor o tema do livro, o mundo está se acabando, o planeta esgotou os seus recursos naturais e agora seus habitantes tem que correr atrás do prejuízo e além disso lutar contra um oponente que quer se apoderar do pouco de vida que resta.Gostei bastante do livro, repito, não foi o melhor que li este ano, isso é uma visão pessoal, mais foi muito bom ter o lido.
Achei que o acabamento gráfico e ficou magnífico, a capa é linda e as trocas de capítulos são decoradas deixando assim o livro ainda mais lindo.
Como é uma triologia, o livro não tem um fim deixando-nos com aquele gosto de quero mais e curiosidade para saber o que acontecerá com Juliette.
Recomendadissímo.

LEIA AQUI O PRIMEIRO CAPÍTULO
  • Estilhaça-me (Nov/2011 – Mar/2012)
  • Destrua-me [Destroy Me] (Set/2012 – sem data para o Brasil, contos que acontecem entre os livros 01 e 02)
  • Devenda-me [Unreavel Me] (Fev/2013 – sem data para o Brasil)
 Capas


Beijokas enormes

6 comentários:

Inara disse...

Oi, Brih!
hahahahaha Quase morri de rir! Eu também ADOREI o Warner! Até que enfim encontrei alguém que concorda comigo! kkkk

Ótima resenha, Brih!

Um beijo,
Inara - http://lerdormircomer.blogspot.com.br

Helaina_One disse...

Estou curiosa para ler esse livro!!
Agora é só esperar eu ganhar ele em uma das promoções que eu estou participando!!

Adorei sua resenha!!

Beijussss;
http://hipercriativa.blogspot.com.br/

Camila Márcia disse...

rsrs ótima resenha.
Eu particularmente ameih esse livro. Estilhaça-me é um daqueles livros que após o inicio da leitura a gente só sossega quando lê a ultima página para já ficar neurótica pelo volume seguinte.
Não vou dizer que o livro é totalmente original, pois tem partes bem clichês, mas não posso negar que ele é intenso e traz personagens verdadeiramente marcantes.

Abraços,
Camila Márcia
@camila_marcia
http://delivroemlivro.blogspot.com/
http://devaneiosfugazes.blogspot.com/

Sora Seishin disse...

Oi Brih!
Eu já li o livro, mas ao contrário de você, não curti... Por isso nem tenho vontade de ler os próximos.

Beijos,
Sora - Meu Jardim de Livros

Kézia Lôbo disse...

Não é tipo oooo livro, mas é bem legal até, pelo menos estou curiosa para a acontinuação. Muito boa a resenha =D

Lucas disse...

olá
Assim como alguns, também não tenho vontade de saber da continuação. Tive um desapontamento grande. Mas ótima resenha!

Lucas
Era uma vez...
livrosecontos.blogspot.com

Postar um comentário

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...